ENFERMAGEM

ENFERMAGEM
É ISTO

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

BIOLOGIA ─ TRANSPORTE EM ACÇÃO

Concentração de iões escolhidos na água do mar e em vacúolos de duas algas marinhas
    A tabela acima comprova que as plantas podem acumular selectivamente substâncias minerais a partir da água que as cerca.
    No quadro vemos os resultados de medições do conteúdo mineral em cada uma de duas algas, comparadas com o conteúdo dos mesmos minerais na água em que as plantas vivem.
    Manifestamente, as plantas são capazes de acumular estes iões em concentrações consideràvelmente mais elevadas do que no meio que as cerca.
    Sabe-se que esta acumulação, apesar do gradiente de concentração, não é um processo espontâneo.
    Se as células forem mortas depois de os iões terem sido concentrados, os iões ràpidamente se difundem para o exterior até que a sua concentração seja a mesma em ambos os lados da membrana celular.
    Se as células forem privadas de oxigénio ou tratadas com substâncias químicas que impeçam a síntese de compostos ricos em energia necessários para o transporte activo, a acumulação de iões será bloqueada.
    Evidentemente, o transporte activos de iões é processon que só pode ser levado a cabo por células vivas.
    Por exemplo, quando um peixe marinho bebe água do mar para substituir os líquidos do corpo perdidos por osmose, também inclui os iões dissolvidos.
    Se continuar a beber acumulará iões em excesso.
    Estes iões serão removidos do líquido circulatório do corpo pelo transporte activo realizado por células especializadas nas brânquias.
    Transportado em primeiro lugar para as células especializadas, o excesso de iões é então devolvido à água circundante, através da membrana, para o lado oposto da célula.
    Todos os animais marinhos que têm necessàriamente de beber água rica em substâncias minerais dissolvidas possuem órgãos especializados para a remoção e excreção destas substâncias minerais.
    As tartarugas removem o excesso de sais por meio de células especiais que segregam sais, localizadas próximo dos seus globos oculares.
    Com efeito, elas choram lágrimas muito salgadas.
Corte sagital da cabeça duma tartaruga. A glândula secretora de sais está indicada com a seta branca.
    O bico duma gaivota está geralmente encharcado de sal, porque as suas células secretoras de iões estão localizadas nas narinas:
    O transporte activo permite-nos extrair aminoácidos, açúcares e substâncias minerais dos alimentos que comemos, após a sua digestão.
    A revestir o intestino delgado existem camadas de células capazes de remover estes nutrientes do interior do intestino e colocá-los na corrente sanguínea.
    As células que revestem o intestino grosso removem os iões que permanecem no intestino.
    A concentração de iões resultante nestas células ocasiona uma alteração no equilíbrio osmótico e tem como consequência o movimento passivo da água do intestino e para os tecidos circunjacentes ─ um mecanismo importante de conservação da água.

Sem comentários:

Enviar um comentário