ENFERMAGEM

ENFERMAGEM
É ISTO

terça-feira, 26 de setembro de 2017

ANTROPOLOGIA ─ CAPACIDADE CRANIANA

Desenho esquemático da projecção exterior e lateral da caixa craniana no esqueleto da cabeça do Homem.
    Os valores numéricos da capacidade da caixa do crânio do Homem actual oscilam normalmente entre 1300 e 1500 cc., embora se encontrem valores individuais bastante diferentes num ou noutro sentidos.
    Em 1928, Testut considerou cinco classes ou tipos nos valores numéricos da capacidade craniana normal do Homem:

    Macrocefalia...............................................> 1500 cc.

    Crânios grandes...........................de 1650 a 1950 cc.

    Crânios médios.............................de 1650 a 1450 cc.

    Crânios pequenos.........................de 1450 a 1150 cc.

    Microcefalia..................................................< 1150 cc.

    Nas mulheres, a capacidade craniana costuma ser menor em cerca de 10% em relação ao volume interior do crânio dos homens.
    Esta diferença observa-se já na data de nascimento da criança.
    Nos primatas superiores observa-se igualmente uma desigualdade volumétrica de natureza sexual.
    O volume interior da caixa está directamente ligado ao volume do sistema nervoso central que contém; é um facto anatómico resultante da acção das forças expansivas do encéfalo em desenvolvimento.
    Parece existir uma certa relação entre os valores da capacidade craniana (continente) e os valores do volume do encéfalo (conteúdo), e que esse coeficiente sofre uma modificação ligeira com a idade.
    Esse coeficiente pode rondar, em média, valores de 87%.
Lodewijk Bolk (Overschie, 1866-12-10 -  Amsterdam, 1930-06-17)

    Segundo Bolk, os valores desta relação são mais elevados por volta dos 40 anos de idade (entre 26 e 30%), mas que a partir dos 50 anos se inicia uma inversão dessa relação, de maneira que, nos indivíduos que atingem os 90 anos de idade, ela costuma ter descido para valores cuja média anda à volta dos 18%.
    A relação existente entre o volume da caixa craniana e o volume do canal vertebral é também discutido por Martin
    Essa relação é, no Homem, de 12,61 para 1 no sexo masculino e de 10,85 para 1 no sexo feminino.
    Existe uma variabilidade acentuada entre os valores absolutos e os valores relativos da capacidade do crânio e o volume do encéfalo humano, mas o estudo desses valores numéricos revela de imediato que eles não possuem importância como elemento ou factor de avaliação das qualidades psíquicas e mentais dum indivíduo isolado desde que caibam dentro dos valores normais.
    Com efeito, a capacidade craniana é uma característica pontual do indivíduo que pode ter valores tão baixos como 1100 cc. ou tão altos como 1700 cc. e ser acompanhada duma actividade psíquica e duma actividade mental normais e algumas vezes até ricas e elevadas.

    Valores cranianos de personagens da História:

    Crânios volumosos:
Kant (1724 - 1804)
Byron (1788 - 1824)
Volta (1745 - 1827)

    Crânio 
de volume relativamente reduzido: 
Rafael (1483 - 1520)
     Outros personagens da História:

Gambetta (capacidade craniana 1294 cc.)
Broca (capacidade craniana 1485 cc.)
   
Cuvier (capacidade craniana 1830 cc.)

Tourgueneff (capacidade craniana 2012 cc.)
    Daqui se conclui que o valor do volume da caixa craniana não exprime o grau ou nível das qualidades intelectuais dum indivíduo isolado e, mesmo em situações patológicas, só costuma acontecer em situações extremas, como a microcefalia e a hidrocefalia, que essas qualidades estejam sèriamente afectadas.
    As dimensões do crânio ósseo (comprimento, largura e altura) estão normalmente de tal forma ligadas entre si que, sempre que se verifica qualquer alteração numa dessas dimensões, esse facto interfere nos outros diâmetros, pelo que, no final, não se costumam encontrar diferenças notáveis nos valores da capacidade craniana.
    As modificações de um ou mais desses diâmetros são quase sempre resultantes dum encerramento precoce, anómalo, duma ou mais dessas suturas ou mesmo dum processo artificial de deformação do crânio, como foi prática corrente em povos culturalmente menos desenvolvidos.
Crânio de criança deformado artificialmente. Origem: Crimeia.
Africanos com crầnio deformado artificialmente.
    Técnicas de deformação artificial do crânio:






    O gorila é o antropóide com maior capacidade craniana (valor médio: 650 cc.).
    A relação entre os valores da capacidade craniana e os valores do peso corporal do animal é bastante variável e possui por isso um significado zoológico importante.
    No Homem adulto, o quociente entre o peso ou o volume do seu encéfalo e o peso ou o volume total do seu corpo anda à volta dos 2%, enquanto que, nos antropóides, o mesmo índice desce para valores que estão próximos dos 0,5%, isto é, cerca de quatro vezes menor.
    A capacidade craniana desenvolve-se com rapudez no Homem e nos antropóides durante a embriogénese.
    Esse crescimento é inicialmente bastante semelhante em todas estas espécies de primatas em virtude das suas afinidades zoológicas, mas depois, com a idade, eles vão-se afastando pouco a pouco, acontecendo mesmo que, por volta dos cinco anos, a criança já possui uma capacidade craniana cujos valores numéricos são próximos daqueles que existem na idade adulta.
    
    Quadro de cresimento da capacidade craniana no Homem:

     IDADE                                         HOMEM                     MULHER

    Recém-nascido........................... 370 cc. .................... 360 cc.

    6 meses........................................ 534 cc. .................... 507 cc.

    1 ano............................................. 900 cc. .................... 850 cc.

    2 anos.......................................... 1079 cc. .................. 1028 cc.

    3 anos.......................................... 1232 cc. ................... 1128 cc.

    10 anos......................................... 1424 cc. .................. 1315 cc.

    15 anos......................................... 1426 cc. ................... 1331 cc.

    50 anos.......................................... 1439 cc. .................. 1286 cc.

    90 anos........................................... 1451 cc. ................. 1299 cc.

    A capacidade craniana determina-se a partir dos dados métricos que se podem obter empregando fórmulas matemáticas adequadas:

    TÁBUA DE WELCKER ─ Somam-se os três diametros fundamentais (comprimento, largura e altura do crânio) e procura-se o valor correspondente numa tabela anexa.

    FÓRMULA DE MANOUVRIER ─ É o produto dos mesmos três diâmetros fundamentais corrigidos pela sua divisão por 2,28 nos homens e 2,16 nas mulheres ou, duma maneira mais simples, apenas por 2.

    FÓRMULA DE LEE (SEGUNDO BARROS E CUNHA) ─ Produto dos diâmetros longitudinal e transverso pela altura auricular segundo as expressões seguintes:

    Homens: 0,370 (largura x comprimento x altura auricular) + 321,16

    Mulheres: 0,375 (largura x comprimento x altura auricular) + 296,40

    PEARSON (SEGUNDO J. COMAS):

    Homens: 359,34 + 0,000365 (largura x comprimento x altura auriculo-bregmática)

    Mulheres: 296,40 + 0,000375 (largura x comprimento x altura auriculo-bregmática)

ou:

    Homens: 524,6 + 0,000266 (largura x comprimento x altura basio-bregmática)

    Mulheres: 812,0 + 000156 (largura x comprimento x altura basio-bregmática)


Sem comentários:

Enviar um comentário