ENFERMAGEM

ENFERMAGEM
É ISTO

quarta-feira, 17 de maio de 2017

DESCALCISMO — OS INAUDITOS BENEFÍCIOS, PARA A SAÚDE, DE SE ANDAR DESCALÇO SOBRE A TERRA

        por ®Salud Ancestral
   
    Hoje em dia pensamos pouco em todas as implicações que nos trazem para a saúde as inúmeras formas modernas de vida que adoptamos, afastadas da Natureza. 
    E, no entanto, quer nos apercebamos ou não, essas implicações existem, de facto.
    É talvez surpreendente descobrir que algo aparentemente tão simples como andar descalço sobre a Terra pode trazer tantos benefícios para a saúde como de facto traz.
    Em primeira instância, devemos notar que o uso de calçado não é natural.
...o uso de calçado não é natural.
    Muitas tribos indígenas andam descalças permanentemente, ainda hoje, e os seres humanos caminharam descalços durante centenas de milhares de anos, antes de se  inventar algum tipo de calçado. 
Muitas tribos indígenas andam descalças permanentemente...
    Foi há apenas algumas décadas atrás que foram inventadas as solas de borracha sintética e de plástico, sendo antes feitas sempre de fibras naturais. 
    Os materiais sintéticos são altamente isolantes, e como se verá isso complica ainda mais as previsões. 
    O que não é natural tem sempre um impacto na saúde, uma vez que se afasta da configuração original do corpo e, portanto, afecta as suas funções. 
    É por isso que as crianças, geralmente, gostam de andar descalças, achando que é mais confortável, mais natural, e como têm o instinto ainda fresco e os adultos já o perderam, sabe ou intui o que nós debateremos abaixo.
...as crianças, geralmente, gostam de andar descalças...
    Os pés desempenham um papel importante em todo o corpo humano, além de serem a base e o apoio para ficar em pé. 
    São um ponto de confluência de sangue vital, e o movimento do corpo é determinado, em grande parte, pelos pés.
    Entrar em contacto directo com o chão com os pés descalços activa o movimento.

    Pelo contrário, quando andamos com sapatos a circulação e estimulação dos vasos sanguíneos dos pés é muito pobre.
    Desta forma, quando andamos descalços na terra, na relva ou na areia da praia, evita-se a má distribuição de sangue e, portanto, o calor por todo o corpo, o que é regra comum hoje em dia e causa de várias doenças.







    Quando há bom suprimento de sangue para o pé, há também para o abdómen, e, portanto, são reforçadas a digestão saudável e a eliminação.
    Quando há um suprimento pobre de sangue nos pés, as extremidades, mãos e pés, permanecem frios, enquanto o sangue, fluindo de maneira incapaz, vai para o lado oposto, ou seja, para a cabeça, o que não é saudável, pois esta fica congestionada, enquanto que outras partes do corpo ficam com um suprimento de sangue pobre.

    Isto foi investigado e verificado em inúmeros doentes, há mais de 100 anos atrás, por grandes naturopatas, como  o Pe. Sebastian Kneipp, Adolf Just e Frei Tadeo de  Visent OFMCap., que sempre incluíram caminhadas descalças nos seus métodos de cura.
Padre Sebastian Kneipp
Adolf Just
Frei Tadeo de Visent OFMCap.
    Os pés também precisam de ar, necessitam respirar. 
    Mas, como nós usamos meias e sapatos o tempo todo, a ventilação e a oxigenação da pele dos pés é geralmente muito pobre em todas as pessoas que vivem em cidades e andam constantemente calçadas.
    Por outro lado, os sapatos ou o andar sobre superfícies artificiais e não sobre solo natural isolam-nos do campo electromagnético da Terra.
    Com o tempo, isto pode reflectir-se, entre outras coisas, numa desmineralização do corpo, numa diminuição da densidade óssea.
    Diversos investigadores modernos estudaram os efeitos, na saúde, de caminhar ou dormir sobre a terra, achando que influi em pràticamente todos os sistemas corporais, ao regular o ambiente e o ritmo bioeléctrico interno. 
    Isto deve-se ao facto de a Terra ter, ao contrário de nós, um fluxo inesgotável, que se renova a cada segundo, de electrões livres de carga negativa, que neutralizam poderosamente as cargas eléctricas de iões positivos que se encontram com abundância na atmosfera, que os nossos corpos absorvem constantemente e cujo excesso causa oxidação, calcificação e inflamação.
    Por outras palavras: entrar em contacto directamente com a Terra destrói os radicais livres que causam inflamação e doença, regula os biorritmos, isto é, os ciclos de vigília e de sono e a produção de cortisol, a hormona do "stress", desacelera o processo de envelhecimento, descongestiona o sangue, ajuda a diminuir as dores e evita a osteoporose e desmineralização dos dentes e dos ossos.
...entrar em contacto directamente com a Terra destrói os radicais livres que causam inflamação e doença...
    Observe-se, por exemplo, que os astronautas no espaço, muito afastados do campo electromagnético da Terra por períodos prolongados, tendem a sofrer de osteoporose grave.
    Do mesmo modo, contactar com a Terra permite ao corpo ter uma homeostase adequada, isto é, uma condição interna estável, em equilíbrio com o ambiente, ou por outras palavras: uma temperatura ideal para a saúde e um equilíbrio ácido-alcalino correcto e saudável.
    Então, se alguém sofrer constantemente de frio ou de constante calor corporal, um dos melhores remédios será caminhar diàriamente, descalço, sobre a terra. 
Olga Gavva e Igor Rezun, Presidente da Associação "Novosibirsk Descalça" (Rússia)

     Por outro lado, hoje em dia estamos expostos a inúmeros campos electromagnéticos causados pelos aparelhos eléctricos, antenas e outros e devido a isso os nossos corpos estão elèctricamente demasiado carregados.
    Isto não é muito menos saudável, uma vez que cria numerosos desequilíbrios no corpo e inclusivamente pode ser causa de tumores malignos se a exposição às radiações for excessiva e constante.
    Ao pousarmos os pés na Terra o nosso corpo descarrega-se electrica e completamente.
    Os lugares mais ideais, pela sua alta conductibilidade, para receber os benefícios electromagnéticos para o corpo, são o oceano, os rios e lagos e a erva molhada ou húmida.


    Mas funciona igualmente muito bem tocarmos directamente a Terra, a areia ou a erva, como, por exemplo, no nosso jardim.
    Inclusivamente, alguns electrões livres provenientes da Terra conseguem passar através do cimento, e assim, se não dispusermos de melhor superfície para andar descalço, uma superfície de cimento pode tornar-se útil.
    Pelo contrário, o asfalto, a madeira morta ou qualquer piso de material isolante das nossas casas não conduzem electricidade terrestre e, portanto, não servem. 
    Os investigadores Clint Ober, Dr. James Oschman e Dr. Jeffrey Spencer realizaram longos estudos sobre os benefícios da ligação à Terra e concluíram, por meio de estudos clínicos, que andar descalço pisando a terra tem enormes efeitos na recuperação muscular, no rendimento físico e alivia as dores musculares e articulares.
    Para surpresa dos próprios investigadores, descobriu-se que as feridas se curam em média três vezes mais depressa ao estar em contacto com a terra, comparando com quando se está isolado dela.
    Por meio de trabalho com doentes e com a equipa de ciclistas profissionais dos Estados Unidos e na Volta à França, estes investigadores puderam avaliar os resultados e tirar estas conclusões, expostas em diversos artigos e livros.
    Foram tão espectaculares os resultados que deram ao contacto com a Terra o nome de "Vitamina G" (G de "grounding", tocar a Terra, em inglês), uma vitamina da qual costumamos, hoje em dia,  ter muita deficiência... 
    Comprovou-se também que o "jet-lag", ou efeito de alteração dos ciclos do sono e desorientação que se dá quando se faz uma viagem de avião a lugares longínquos e que geralmente demora dias inteiros até desaparecer, se elimina tão sòmente com 30 minutos a caminhar descalço na terra.
    Isto evidencia que o corpo necessita de uma ligação directa com o solo para poder determinar em que ponto do planeta se encontra e sincronizar os seus biorritmos. 
    Do mesmo modo, e segundo a antiquíssima e sábia medicina chinesa, encontram-se nos pés numerosos pontos energéticos que contactam com todos os órgãos do corpo. 

    Nos pés vê-se reflectido, orgânicamente, o corpo inteiro!
    Uma estimulação pobre destes pontos, pelo não contacto directo dos pés com a Terra, conduz a uma deficiência energética e de vitalidade em todos os órgãos do corpo.
    Andar descalço fortalece o corpo. 
    Fortalece os próprios pés, a pele, a circulação, a digestão, a eliminação e o sistema imune.
    Pode dizer-se que tanto os pés como o corpo se curtem ao andar descalço, e assim se fortalecem.
    Além de tudo o que se disse, há que considerar outros factores, como a própria influência do calçado na naturalidade dos movimentos do corpo.
    Citando a Drª. Emily Splichal, treinadora e reabilitadora, especialista em terapia pelos pés descalços: "Os sapatos mudam a forma como cada um se movimenta. A maneira como cada um se desloca depende da forma como o corpo se apercebe do meio ambiente. Quando os pés não estão em contacto directo com o solo, o cérebro não pode construir uma imagem completa do terreno. Assim, como pode controlar o corpo para se mover livremente?". 
Drª. Emily Splichal
    Sapatos com saltos altos ou sapatos almofadados e de engenharia avançada só pioram este problema, ao redirigindo o impacto do caminhar para diferentes áreas sensíveis do pé ou da perna, como, por exemplo, os joelhos, e inclusivé a bacia ou os ombros, e causando ali dores e problemas.
    Resulta impossível, usando calçado, ter-se um caminhar natural, com movimentos naturais para os pés, pernas, bacia, coluna vertebral e ombros.
    Andar descalço foi e ainda é usado como parte integrante das terapêuticas de grandes médicos naturistas dos séculos XIX e XX, como, por exemplo, o Pe. Sebastian Kneipp e Manuel Lezaeta Acharán, que consideravam esta prática como fundamental para a saúde.     
Manuel Lezaeta Acharán (1881-06-17 — 1959-09-24)
    Nos centros terapêuticos que eles e os seus seguidores fundaram na Suíça, Alemanha ou Chile, as pessoas passeiam livremente e com grande prazer durante horas inteiras, pisando directamente a Terra e a erva, a fim de restabelecer a boa circulação, a temperatura corporal e a saúde.
    Para além dos benefícios para a saúde, o andar descalço resulta relaxante e aprazível, devido ao facto de os pés possuírem uma infinidade de terminações nervosas, até mil por cada centímetro quadrado das plantas dos pés.
    Os pés descansam e sentem uma agradável e suave carícia que é, por sua vez, uma massagem enquanto se caminha na erva ou na terra.
     Para além do mais, nestas investigações científicas e provas realizadas concluiu-se que caminhar na terra diminui os níveis de cortisol, promove o equilíbrio hormonal e em especial a produção de hormonas do sono, diminui a actividade do hemisfério cerebral esquerdo, descarrega o "stress" bioeléctrico do corpo e sincroniza o relógio biológico com os ritmos circadianos naturais, o que tudo promove o relaxamento.
    Convém, pois, andar descalço e sem meias sempre que seja possível, e sobretudo andar sobre erva, terra ou areia da praia, tão frequentemente quanto nos seja possível.
    A ser possível, dê-se um passeio descalço de 15 minutos a meia-hora, diàriamente, porque é algo que se repercute poderosamente na saúde.
    Se for de todo possível fazê-lo diàriamente ou de três em três dias, pelo menos uma vez por semana será quase indispensável para manter uma óptima saúde.
    Quando não for possível andar descalço, encostar alguma parte do corpo de maneira a tocar a terra, fazer jardinagem com as mãos nuas ou tocar numa árvore, que também actua como condutor da electricidade terrestre, têm efeitos semelhantes para a saúde, ainda que assim não se obtenham os benefícios directos sobre os pés anteriormente mencionados.
    Também existem à venda tapetes e aparelhos desenhado para ligar a uma tomada de corrente com fio de terra, os quais permitem que nos conectemos ao fluxo de electrões livres da Terra a partir da comodidade da nossa própria casa ou do escritório, ainda que estejamos a trabalhar ou a dormir, obtendo também benefícios, desta maneira.
    Assim, pois, andar descalço sobre a Terra constitui uma grande ferramenta para a saúde, simples e gratuita, ao alcance de todos, que a própria Natureza pôs à nossa disposição e que era prática de ligação com a Terra, comum e omnipresente, nas culturas ancestrais, que hoje podemos e devemos resgatar para optimizar a nossa saúde e a nossa vitalidade.
     Leituras aconselhadas:


    Longevity Now — por David Wolfe


    La Salud por la Naturaleza — por Rafael Lezaeta Perez Cotapos

     Medicina Natural al Alcance de Todos — por Manuel Lezaeta Acharan

    https://www.earthing.com/

    http://web.lagranepoca.com/archivo/28670-dificultad-al-caminar-pruebe-terapia-pies-descalzos.html


    http://espanol.mercola.com/boletin-de-salud/deficiencia-de-electones.aspx

    http://www.goearthing.com/category_s/53.htm

       
    https://www.youtube.com/watch?v=FVItMlz6k6k
 


Sem comentários:

Enviar um comentário